Henri Désiré Landru - o Maior Serial Killer da França

Henri Désiré Landru - o Maior Serial Killer da França

Lo tengo

Henri Désiré Landru - o Maior Serial Killer da França

Cartoné 148 pp

0,000 opiniones

Información adicional

Portugués (Brasil) · 

Sobre esta edición

Dimensões do produto : 28.4 x 21 x 1.6 cm

Argumento

Chabouté, o reverenciado autor de solitário, um pedaço de madeira e aço e da adaptação moby dick, apresenta mais uma obra que ressalta toda a versatilidade de seu talento: henri désiré landru, sobre o assassino em série que chocou os franceses no início do século xx. Num momento em que a frança sofria por conta das mazelas causadas durante a primeira guerra mundial e o povo se encontrava fragilizado pela criminalidade e pela falta de recursos, henri désiré landru, um vigarista profissional acostumado a aplicar golpes e pequenos estelionatos, se viu no cenário ideal para cometer seus piores crimes e enriquecer ilicitamente. Após seduzir e ganhar a confiança de viúvas de soldados mortos na guerra, ele as assassinava para ficar com todo o seu dinheiro e pertences. Landru atuou por anos sem ser pego pela polícia e tornou-se o assunto mais comentado pela imprensa da época, ávida por notícias macabras e sensacionalistas que desviassem a atenção do povo de questões políticas relevantes. Ao todo, ele foi culpado pela morte de dez mulheres e um adolescente, mas estima-se que possa ter cometido muitos mais crimes.

Sobre o Autor

Christophe Chabouté é considerado um dos maiores quadrinistas franceses contemporâneos. Nascido em 8 de fevereiro de 1967, lançou seu primeiro trabalho na coletânea Les récits, em 1993, baseada na obra de Arthur Rimbaud. Publicou, em 1998, Sorcières e Quelques jours d’été, dois álbuns bastante aclamados por público e crítica, com o segundo sendo premiado no Festival de Angoulême. Pouco tempo depois, com os lançamentos de Zoé, em 1999, e Pleine lune, em 2000, alcançou sua maturidade como artista. Em 2001, lançou Un îlot de bonheur, que recebeu menção especial do júri de Angoulême. No ano seguinte, colaborou com a coleção Léo Ferré en BD, publicou La bête e começou a trabalhar no primeiro livro da trilogia Purgatoire, concluída em 2005. Em 2006, decidiu contar em quadrinhos a história do assassino mais famoso da França, com Henri Désiré Landru. Passados menos de doze meses, publicou Construire un feu, adaptação do conto homônimo de Jack London. A seguir, Chabouté entregou a impressionante sequência de um álbum por ano: Solitário (2008), Terre-Neuvas (2009), Fables amères (2010), Les princesses aussi vont au petit coin (2011) e Um pedaço de madeira e aço (2012). Todos saíram pela Vents d’Ouest, sua principal casa editorial. Em 2014, publicou Moby Dick, adaptação do monumental romance de Herman Melville. O trabalho ímpar de Chabouté vem colecionando elogios e prêmios por todos os países onde é lançado, e o autor já se firmou como um dos maiores artistas europeus da atualidade.

Ver más

Autores

Fecha de publicación

Isbn / Código de barras

  • 978-6-586-67214-5

Opiniones

No hay opiniones

El contenido de esta página se encuentra bajo licencia Creative Commons 4.0 Compartir igual, salvo las imágenes de cómics que son propiedad de sus respectivos autores y editores. Renunciamos al derecho de atribución.